Grace Town é uma menina diferente das outras. Ela veste roupas masculinas, tipo masculinas mesmo, inclusive maiores que ela, tem o cabelo cortado de um jeito irregular e um tanto torto, usa uma bengala e meio que fede.
É, ela fede mesmo.

Quando Henry Page vê a garota pela primeira vez, ele não consegue imaginar o que pode ter feito Grace, que é uma aluna nova em sua escola, parecer sempre extremamente cansada, meio amarela e um tanto não sociável. Ele também não consegue imaginar porque raios Grace Town parece ser tão legal.

Só que ela não é exatamente a pessoa mais fácil de se conversar, sabe?

A vida de Henry fica relativamente mais fácil quando o diretor de sua escola o denomina Editor chefe do jornal do colégio, coisa que ele queria há muito e tempo e pela qual estava trabalhando há pelo menos dois anos. E isso facilita a vida dele no quesito Grace Town porque o diretor também denomina Grace Editora chefe do jornal, o que meio que os obriga a trabalhar juntos tipo t-o-d-o-s o-s d-i-a-s.

Isso não foi exatamente fácil também. Leia o livro pra entender o porque.

Resumindo: Grace era esquisita. Henry gostava disso nela. Ela não queria se abrir, Henry insistia. Ela dizia que nunca ia ser a mesma, Henry não se importava. Mesmo fadado ao fracasso, Henry insistiu em Grace Town. E se apaixonou por Grace Town. Mas a menina tinha mais segredos que ela podia adivinhar, eles são adolescentes, a vida não é fácil… Para saber como isso acaba, só lendo A química que há entre nós.

Maaaaaaaaas, podemos adiantar algumas coisinhas:

1- O Henry é uma pessoa incrível, de verdade. Um amor.
2 – O Murs e a Lola, os melhores amigos do Henry, são SENSACIONAIS. Eu queria ser amiga deles.
3 – Tem tanto personagem secundário incrível nesse livro que você até esquece que é sobre o Henry e a Grace. Um exemplo: a irmã do Henry, ex delinquente juvenil, é um gênio, uma neurocientista fodona cheia de tatuagens, piercings e dreads. Sim, nesse nível de incrível.
4 – A Grace é uma criatura misteriosa, obscura e muito legal. Ela passou por maus bocados e não tá bem, mas ela é uma pessoa boa.
5 – Eles são adolescentes então você pode esperar todo o drama, desespero apaixonado e pensamentos puros de pessoas que ainda estão começando a viver – e o jeito como eles vêem o mundo te contagia de um jeito bom.
6 – A autora tem uma narrativa tão gostosa que, sinceramente, eu queria que o livro não acabasse ou que eu virasse um personagem nele.
7 – Tem muito mais do que o romance adolescente tema principal do livro, acredite.
8 – Os peixes na capa. Sério, quando você chega nessa parte, você QUERIA ESTAR LÁ.

Enfim, a gente amou o livro. Leticia começou o livro antes de mim, não conseguiu dormir até acabar e não me deixou dormir até eu acabar. O que foi ótimo, porque eu adorei o livro mesmo. É super puro, sensível, engraçado e um tanto ingenuo, que nem todos nós já fomos um dia. Leiam! <3