Decidi fazer essa resenha em dupla porque um livro é a continuação direta do outro e, no fim das contas, não posso falar muito da história do segundo sem dar spoilers, sabe? Daí pensei que nada melhor que fazer uma resenha comentando os dois.

Nesse livro você conhece Cassie e Ethan. E MEU.DEUS.DO.CÉU. O que dizer desse casal que eu mal conheço e já considero pacas (na verdade, a essa altura eu já conheço mais que bem, porque eu já li e reli esses livros umas 89 vezes). Então, eles dois se conhecem em testes para entrar num dos cursos de teatro mais concorridos do mundo. Eles tem uma química danada e meio que ficam em uma relação de amor e ódio durante todo o relacionamento, até que Ethan a abandona de uma maneira horrorosa.  Corta pra três anos depois, quando esses dois se reencontram porque foram escalados para serem um par romântico de uma nova montagem da Brodway.

Porque nada melhor que reencontrar teu ex escroto que fazer um par romântico com ele, né?

Acontece que Ethan tá bem arrependido dos próprios pecados e, na verdade, nunca esqueceu Cassie. Então ele vai fazer de tudo para recuperar o coração e a confiança dela. Mas, obviamente, essa missão não será fácil.

O livro é todo narrado pela perspectiva de Cassie, alternada entre o presente e lembranças do passado. Cassie, ao contrário de muitas protagonistas de YAs por aí, é uma menina decidida, independente e boca suja. E sim, Ethan destroçou seu coração (que ainda acelera quando o vê), mas ela não é obrigada a aturar as besteiras dele só por isso. E ela definitivamente não vai se deixar levar só pelo charme dele.

E Ethan, esse cara que até aqui você deve estar achando que é um ridículo total, na verdade é uma pessoa bem legal. O rapaz teve um motivo para largar Cassie como ele fez, e tem um motivo para ser reservado e não demonstrar afeto nunca. E, apesar de tudo, ele realmente se esforça para fazer Cassie entender o seu lado e voltar a confiar nele.

Claro que nem tudo são flores, existem diversos motivos para esses dois ficarem separados mas, ainda assim, eles vão dar um jeito.

Uma das coisas legais da narrativa de Leisa Rayven é que os personagens não são aquele casal de homem poderoso e mulher submissa, sabe? Os dois tem o mesmo nível em seus trabalhos, nenhum dos dois é melhor que o outro e Cassie que dita as regras do que acontece entre eles, não Ethan. Os dois se respeitam. O fim do livro basicamente te faz implorar pela continuação, então imagine como a narrativa é maravilhosa.

E isso se mantém em Minha Julieta, que é a continuação.

Acontece que, como eu comentei, o fim do livro anterior nos deixa ANSIOSOS DE CABELO EM PÉ pela continuação. E essa coisa-que-acontece-sobre-a-qual-não-podemos-falar-pra-não-dar-spoiler é o gatilho para que o resto da história se desenrole. Posso adiantar que, assim como no primeiro, o casal vai passar por poucas e boas para conseguir ficar junto na paz.

Leisa Rayven tem uma narrativa tão gostosa que, olha, não tem como não amar. Os personagens tem umas personalidades que ficam tão presentes no texto que não tem como a gente não se sentir um pouquinho na história. Sem contar que a Cassie é bem desbocada, fala tanto palavrão que eu não posso fazer nada além de me identificar ahahahaha.

Outra coisa incrível desses dois livros é a abordagem do teatro. Sério, você termina os livros com o coração feliz, apaixonado e super louco para saber mais sobre esse mundo mágico do teatro. Ah, e eu não posso esquecer dos personagens secundários. Gente, GENTE, livro que faz a história dos secundários ser tão legal quanto a dos protagonistas não pode ser ruim, né?

A série tem três livros e você pode ler a resenha do terceiro, Coração Perverso, aqui. Mas ó: ele é independente desses dois, tá? E é meu amor maior.