Ned não foi sempre um filho único. Tam, que era seu irmão gêmeo, era uma pessoa maravilhosa. Todos o amavam. Ele era talentoso, simpático, querido, atencioso. Em um acidente de barco, o pai dos dois só tem tempo de salvar um dos filhos. De acordo com todos, ele salvou o filho errado. Toda a aldeia preferia que Tam estivesse vivo. E, como se não bastasse a dificuldade de viver sob a sobra de seu irmão, ele agora precisa viver sob a sombra de seu irmão falecido.

A mãe de Ned é uma feiticeira poderosíssima. Usando seus poderes para o bem, ela é considerada uma heroína por todos. Quando a rainha visita a aldeia e acaba em uma situação que a deixa a beira da morte, a mãe de Ned demonstra seu valor e sua bondade e a salva. Mas isso vem com um preço, que muda tudo na vida de sua família.

Quando a mãe de Ned precisa se ausentar, ela deixa sua magia guardada em um pote em sua casa. Ned, o menino franzino e medroso, se torna o guardião. E essa é a oportunidade perfeita para o Rei dos Bandidos roubar a magia e fazer muitas coisas ruins com ela.

 

Esse é um livro infanto juvenil e, como tal, pode não surpreender leitores mais maduros. Mas, como boa apaixonada pela literatura infanto-juvenil, adorei cada pedaço dessa história. A sinopse já avisa que se trata da típica história do herói, então o leitor já sabe o que esperar nesse aspecto. Mas não dá pra imaginar que a gente vai se apaixonar pelo Ned, esse personagem tão querido que se mete em confusões tão grandes. Ele é, claramente, um herói atípico, fugindo de todos os padrões e encantando a todos os leitores.

Embora o texto seja simples, ele não se torna raso. A escrita de Barnhill é muito bem elaborada e cativa o leitor a cada linha. Se você gostar de fantasia, contos e literatura juvenil, pode mergulhar nesse livro que você não vai se arrepender.