img_9486-001Julia Quinn rainha, o resto nadinha. Ainda não li UM LIVRO SEQUER dessa mulher que me decepcionasse. Não consigo não amar cada um deles. Só amores <3

E com a história de Michael e Francesca não tem como ser diferente.

Michael sempre levou uma vida despreocupada – por ter seguido uma carreira militar e ter como primo um conde, seu futuro é um tanto mais tranquilo, e ele pode se dar ao luxo de escolher que caminho prefere seguir. Livre, alegre e um tanto sedutor, Michael tem uma vida da qual não pode reclamar.
Até que ele conhece Francesca.
Francesca Bridgerton é uma mulher encantadora. Delicada, forte e inteligente, é impossível não se apaixonar por ela. E Michael acaba, de fato, se apaixonando por ela. Mas Francesca é a única pessoa que ele não podia querer: ela está apaixonada por seu primo, John, uma pessoa que ele ama tanto que considera seu irmão. Assim, ele esconde seu sentimento por anos, torcendo genuinamente para que seu primo e seu amor sejam felizes.

E John e Francesca de fato são felizes. Eles se amam, e encontraram um no outro exatamente o que procuravam. Mas, numa reviravolta cruel do destino, John morre e Francesca se vê desamparada. Sua dor é maior do que podia imaginar sentir, e Michael só quer poder ajudá-la a diminuir sua dor, sem nunca comentar sobre seus sentimentos – até porque Francesca só o vê como amigo. Até que a vida dá outra girada, e as coisas começam a mudar.

Michael é provavelmente o personagem mais querido, altruísta e amável sobre o qual já li. Ele faria qualquer coisa por Francesca, inclusive esconder seus sentimentos. Ele é fiel a seu primo, é dedicado e não tem como não sofrer com ele e ser feliz também. Michael acha que não merece ser amado, por causa de seu passado, e prefere sofrer calado, sozinho. Em vários momentos, eu só queria poder dar um abraço nesse rapaz e dizer que estava tudo bem, que ele merecia ser feliz também.

Francesca é uma típica Bridgerton: engraçada, perspicaz e irônica. Ela se sente grata por ter conhecido o amor de sua vida e ter compartilhado, embora que brevemente, sua vida com ele. Ela também se sente grata por ter um amigo tão fiel quanto Michael em seu convívio. E, embora sinta saudades da convivência com seus irmãos, ela se sente acolhida e amada em sua nova família.

Os Bridgertons ocupam o topo do meu coração quando se trata de romances históricos, e Michael e Francesca estão em alta conta também. Embora algumas pessoas não tenham achado esse um bom livro, eu posso dizer que eu estou encantada. Definitivamente o meu segundo preferido – mas só porque O duque e eu tem um espaço reservado em meu coração há muitos anos. Para quem aprecia recomeços, esse livro é a pedida certa.