Eli foi acusado de assassinar sua esposa. Mesmo sem nenhuma prova que o ligue ao assassinato, um detetive continua na cola de Eli, sufocando-o. E é por isso que ele se muda para a casa onde sua avó morava.

Lá, ele conhece Abra, uma mulher que faz o que quer e quando quer. Ela é um furacão que entra em sua vida para tirar tudo do lugar mas, ainda assim, o ajuda a entrar nos eixos. Abra não acredita que Eli tenha matado a esposa, mesmo que ela o tenha traído com outro homem. E ela o incentiva a escrever seu livro, deixa comida pra que ele não possa deixar de comer, mantém as coisas arrumadas e basicamente está em qualquer lugar que ele pense em ir.

Mas, para que Eli siga em frente, ele precisa descobrir o que aconteceu na noite fatídica em que sua esposa foi morta, e também precisa lidar com as coisas estranhas que começaram a acontecer em sua casa.

Quem é fã de Nora Roberts sabe que a autora ama misturar romance e suspense, e com A casa da praia não é diferente. E, assim como em todas as suas histórias, os personagens são cativantes e maravilhosos. Abra, por exemplo, é uma feminista maravilhosa que faz de tudo um pouco. Ela é uma daquelas mulheres que não para nunca, que faz o que quer, que é tipo um raio de sol luminoso e quentinho <3. Sério, da vontade de ser amiga dessa mulher.

Eli, obviamente, está na pior época de sua vida. Uma mulher que o traía, que foi assassinada, ficar na mira da polícia como suspeito nesse assassinato. É difícil para ele seguir em frente, já que as pessoas não o deixam esquecer. Assim, quando ele conhece Abra, sua vida muda bastante.

As narrativas de Nora Roberts são envolventes e é impossível não se sentir tragada pela história. Com um ótimo equilíbrio entre o romance e o suspense, que acaba mantendo o interesse do leitor, A casa da praia é uma história que todos os apaixonados por romance merecem ler.