IMG_8574

“Até mesmo dentro da pessoa mais sombria e cruel ainda há uma ponta de bondade. E dentro do virtuoso mais perfeito também existem trevas. A questão é: a pessoa cederá às trevas ou à luz? É algo que decidimos com cada escolha que fazemos, todos os dias de nossa existência. O que pode não ser maldade para você, pode ser para outro. Saber disso nos torna poderosos mesmo sem magia”

A Coroa Cruel é composto por contos extras da série “A Rainha Vermelha”. Os contos são chamados Canção da Rainha e Cicatrizes de Aço. As duas histórias nos dão uma visão mais ampla desse mundo criado pela Victoria Aveyard. Por serem narrados pela Rainha Coriane e por uma das lideres rebeldes, Diana Farley,  os contos nos trazem em sua maioria a diferença social entre os prateados e os vermelhos. Com muito mistério e política, Coroa Cruel nos permite conhecer a fundo os medos, as inseguranças e os sonhos que regem a sociedade descrita em A Rainha Vermelha.

A Canção da rainha começa a contar a história de Coriane, mãe de Cal, antes dela se tornar esposa do Rei Tiberias. Como era, casa Jacos, que estava em falência, seu pai passa a trbalhar para a corte e é assim que ela conhece Tiberias. Eles passam de estranhos a amigos e depois se apaixonam. O protocolo da família real para casamentos era o de fazer a “Prova real” em que a jovem mais forte se sobressairia e seria destinada ao príncipe, porém já estando apaixonado por Coriane, Tiberias enfrenta os pais e se casa com ela. È claro que as outras casas não gostaram da decisão dele, mas os dois se casaram por amor. A punição deles é que seus filhos teriam que passar pela “Prova real” a qualquer circunstancia.

 No livro, vemos também como Coriane tinha desejo de mudança e apesar de ser sempre submissa a seu pai dava jeito de fazer pequenas rebeldias. E é claro, sua relação com Elara, que desde o inicio é de inveja e muito problemática. O fim você já sabe se leu A Rainha Vermelha.

“(…) Ela estava feliz à sua própria maneira, o máximo que conseguia.
Mas há diferenças entre uma vela solitária na escuridão e o clarão do sol.”

Em cicatrizes de aço, temos o ponto de vista de Farley em relação as diferenças entre os prateados e os vermelhos. Como, ao contrário de Coriane, ela tem uma liberdade de lutar e correr atrás de liberdade para os vermelhos, para vê-los vivendo justamente, com comida na mesa e sem ser obrigados a ir pra guerra. Acabamos descobrindo tamém, nesse conto do modo como Shade, irmão de Mare começa a fazer parte da Guarda Escarlate e alguns detalhes de como as coisas funcionam lá dentro.

Os dois contos são maravilhosos, e mostram duas personagens que gostariam, mais que tudo, de mudança. A Coroa Cruel é, também, uma grande forma de fazer os leitores entrarem mais a fundo na história desse mundo, conhecendo um pouco do seu passado, além do momento em que Mare aparece.