obs1

Obsidiana foi um dos únicos pedidos que fiz para a Valentina com medo de não gostar. Ainda não li NENHUM livro do catálogo da editora e não gostei, mas algo no alvoroço que esse livro causou na internet me deixou bem apreensiva. Isso e o fato de ser um YA, que eu normalmente amo, mas que às vezes, quando misturado ao mundo sobrenatural/fantasioso, não dá certo. Comecei a leitura não esperando nadinha dele. NADINHA.

Mas eu também sou conhecida por quebrar a cara.
Graças a Deus.

Acontece que nesse livro a gente conhece a Katy, uma menina que acabou de se mudar da Flórida pra uma cidadezinha com “c” minúsculo de tão pequena. É tão, mas tão pequena que, se ela precisar fazer qualquer coisa ela é obrigada a ir para a cidade vizinha – que também não é lá grandes coisas não.

Claro que ela não amou essa mudança mas, sinceramente?, a essa altura ela já está resignada com seu destino. Lá, no meio do nada, tudo é monótono, todos tem um sotaque bem do interiorzão e a internet é horrível, o que faz com que a vida dela seja bem difícil já que ela é uma blogueira. BLOGUEIRA QUE FALA DE LIVROS. Mas, como sua mãe está feliz com a mudança, ela tenta ficar feliz também. E é numa dessas tentativas de melhorar o clima que ela decide tentar fazer amizade com os irmãos Black, que são os vizinhos da casa ao lado e, pelo que ela viu da janela, parecem ter a mesma idade que ela.

Só que quem atende é o Daemon, o que complica a vida de Katy absurdamente porque 1) ela mal consegue falar direito com o garoto porque, desculpa gente, mas ele é bonito demais da conta e deixou a menina muda e 2) ele é mega grosseiro com ela e faz com que ela se sinta ainda mais idiota do que já estava sendo ao bater em sua porta com uma pergunta esfarrapada.
Mas ela também não tem sangue frio então, antes mesmo de sair da varanda da casa dele, Katy começa uma discussão bem acalorada pra animar as coisas e fazer a gente quase morrer de ansiedade no primeiro décimo do livro.

Acontece que, quando Katy vai ao mercado (ela foi na casa dos Black pegar a informação de como chegar lá), ela encontra com Dee, a irmã do Daemon e, quase que instantaneamente as meninas viram amigas. E o Daemon não gosta nada disso. Nada mesmo.

obs3 obs2

Mas Dee não se importa. E Katy quer mesmo que Daemon fique irritado.

Bem, algumas coisas acontecem, coisas bem estranhas por sinal, e no fim das contas Katy percebe que todas elas estão relacionadas aos gêmeos Black e, aos poucos ela vai unindo os acontecimentos e descobre que os irmãos são alienígenas. Sim, seres extraterrestres do planeta Luxen (eles são conhecidos por LUX).

E relaxem que isso nem é spoiler, tá na premissa do livro.

Gente, como lidar?

Acontece que o livro é bom. Tipo, bom a beça. Bom num nível que eu nunca esperaria de alienígenas numa história.

O que acontece é que a autora sabe muito bem como construir a história. Começando pelos personagens cativantes e com os quais você facilmente se identifica. Sério, é quase impossível não se apaixonar por eles, o que faz com que toda a experiência de ler Obsidiana se torne ainda mais interessante. E, gente, o livro é SUPER divertido. Sério, eu ria que nem maluca em várias cenas. Os diálogos são muito inteligentes e sarcásticos, o que eu amo, então o livro ganhou ainda mais pontos.

A Katy é uma fofa e, sinceramente, se eu conhecesse ela na vida real eu ia querer ser amiga dessa criatura maluca por livros e sarcástica. A Dee é o resumo do que a palavra encantador significa. O Daemon é, bem, o Daemon é uma coisa né. Fofo e irritante e querido e babaca. É difícil definir o bendito. Mas ele é bem irresistível.

Esse é o primeiro livro da série, que conta com cinco títulos (e dois livros extras), então comece a leitura sabendo que a saga é longa, a ansiedade é grande e a história vale a pena.
E se preparem pra perturbar a Valentina para que eles lancem os próximos logo, porque é impossível chegar no final desse primeiro volume e não sentir uma necessidade absurda de ter a sequência o quanto antes nas suas mãos.

Leiam logo, sério, vale a pena!