Enquanto leitoras, esbarramos com todo tipo de sentimento em nossas leituras, sendo manifestados de formas diferentes: o amor, o ódio, a paixão, a esperança. E também esbarramos muitas vezes com a culpa. E é sobre esses personagens que vamos falar.

De acordo com o dicionário Aurélio, essa é a definição de culpa:

  1. Falta voluntária contra o dever; omissão; desleixo.
  2. Causa (de mal ou dano).
  3. Imputação.
  4. Delito; crime; pecado.

E, pensando nessas definições acima, nós conseguimos lembrar de diversos personagens assolados por uma culpa que não era realmente deles. Por isso, resolvemos fazer uma lista de personagens culpados – por si mesmos, pelos outros – e sem ter culpa do que fez de fato.

Downloads

Para começar, escolhemos Lochan e Maya, de Proibido, o livro que mais nos chocou e fez pensar – e amar – nos últimos tempos. Se vocês lerem a resenha vão entender, mas a culpa deles dois é por amar alguém proibido. E será que, depois de ler todo o livro, a gente continua achando que a culpa realmente é deles?
Nós não achamos.

Temos também Nell e Colton de Louco Por Você, os personagens mais culpados que lembro de ter visto em um único livro. Colton é culpado por seus pais pelas dificuldades de aprendizado que teve. Nell se sente culpada pelas perdas que vem tendo ao longo do caminho. Juntos, eles tentam reverter o poço de dor e sofrimento em que se encontram. Mas nem sempre a culpa é tão fácil de reverter assim.

Em Dublin Street, temos Joss, uma personagem assombrada por crises de pânico e seu passado cruelmente doloroso. Sua melhor amiga morre quando Joss está tentando extravasar um pouco da dor de ter perdido seus pais. Joss se sente culpada por isso, mesmo não sendo.

E, para terminar a nossa seleção de personagens culpados – tentando manter os spoilers longe, coisa difícil – temos Amir, de O Caçador de Pipas. Quem leu o livro sabe o quanto ele se sentiu culpado, quando mais velho, pelas coisas que fizera com seu meio irmão e melhor amigo na infância. A inveja, a falta de atenção, o fato de não ter tentado mudar algumas situações faz com que ele se sinta culpado pelo destino de Hassan.

Eu consigo lembrar de pelo menos mais cinco personagens, mas não posso falar sobre eles porque a culpa deles é o ápice da história, e se você ainda não tiver lido o livro, vai ficar bem frustrado. Mas, além desses aí de cima, vou falar de Willow, o novo lançamento da editora Leya. Aqui em baixo vai a capa e a sinopse, e isso vai ficar bem claro.

10615453_873141866038703_5314056822675983589_n

Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente.
Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo.
Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.

Se quiser comprá-lo, ele está em pré-venda na livraria Saraiva.

Esse post faz parte de uma postagem coletiva dos parceiros da editora Leya, mas participar dele foi mais interessante do que parece, além de me ajudar a contar à vocês mais uma novidade do mundo editorial. Willow promete ser um livro forte e incrível, e eu mal posso esperar para tê-lo aqui e resenhar para vocês.

No final das contas, quem nunca se sentiu culpado por alguma coisa que na verdade não estava sob seu controle? E você, lembra de mais algum personagem culpado? Conta pra gente!