Essa semana foi ao ar o season finale da décima temporada de grey’s anatomy e, junto com o final dessa temporada, também temos o final de uma lenda na narrativa da série: Cristina Yang. Quem assiste a série sabe que Cristina é um dos pilares da trama, e que dá um medo grande imaginar como vai ser o seriado sem ela por perto daqui pra frente. Assistimos Grey’s Anatomy há sete anos e não poderíamos estar mais felizes por termos tido tanto tempo com Yang. Agora é hora de dizer adeus, e nós decidimos listar alguns motivos de porque amamos tanto Cristina Yang.

Porque ela é uma das poucas pessoas do elenco original

Cristina estava na série desde o primeiríssimo capítulo e é parte do elenco principal, então é incrível que ela tenha se mantido tanto tempo sem ser Meredith e Derek. Além dela, só o Karev sobreviveu da turma de internos da primeira temporada. Deixamos aqui nossas saudades quanto à George e Lizzie. </3

Greys-anatomy-season-1-gizzie-2256777-1500-1126

quem também acha que eles não fazem ideia do que estão fazendo?

Porque ela era boa e sabia disso – e não fazia a menor questão de esconder que sabia

As pessoas até achavam Cristina mal humorada e competitiva demais na primeira temporada, mas depois de ver tudo pelo que ela passou é impossível não entender suas escolhas e seu modo de pensar. Ela era boa no que fazia, ela se dedicava, e aquilo era sua vida. Ela nunca disse que seria diferente disso.

Ah, dane-se a beleza, eu sou brilhante! Você quer me apaziguar, elogie meu cérebro!

Porque ela dançava quando precisava extravasar

Ela era séria, era centrada e não deixava ninguém abalar seu mundo. Mas quando precisava externalizar algum sentimento, ela dançava. Loucamente. E foi basicamente assim que nos despedimos dela.

  

Porque ela tinha os melhores conselhos e pensamentos da série

Pensa em alguém com humor negro e muita propensão à ironia. E pensa em alguém que conseguia colocar em palavras tudo que sentia. Essa era a Cristina.

Vai doer. Todas as vezes que você pensar nela. Mas, com o tempo, isso vai doer menos e menos. E, eventualmente, você vai se lembrar dela e… só vai doer um pouco.

Chega um ponto em que tudo se torna demais. Quando nós ficamos cansados demais para lutar. Então nós desistimos. É ai que o trabalho de verdade começa.

Olhe em volta. Nada é normal.

Se não tem comida, eu vou pra casa.

De acordo com o Google, você não existe.

Estar consciente da sua besteira e de fato superar a sua besteira são duas coisas diferentes.

Eu estou rindo, só que não externamente.

Ninguém se importa.

Porque ela tinha o Owen, e eles dois juntos eram a coisa mais bonita…

Não tem como alguém, em sã consciência, não querer ter um amor como o deles. E isso foi inspirador por muitas temporadas.

Eu não quero olhar para você com saudades quando eu sei que não posso estar com você, então eu estou sorrindo e estou dizendo: se cuide agora.

Eu te amo e… Eu te vejo todos os dias. E eu não posso te ter. Como supostamente eu devo continuar fazendo isso?

Até que se pensa nela e na Meredith.

Mas no que se diz respeito à relação mais bonita da história, bem, ninguém bate Mer e Cristina. Porque não existe duas pessoas no mundo televisivo que entendam a amizade – e a importância dela – como essas duas.

Derek é o amor da minha vida, mas você é a minha alma gêmea.

Você é minha irmã. Minha família. Você é tudo que eu tenho.

Ninguém nunca acreditou em mim assim. Você acredita em mim mais do que eu mesma, e eu preciso disso. Eu vou morrer aqui sem isso.

– Alguém já pensou que vocês são um casal?
– Não, porque a gente ferra os rapazes como se eles fossem prostitutas na tequila. E então nós duas tentamos nos casar com eles ou nos afogar.

O que é pior, novas feridas que são horrivelmente dolorosas ou velhas feridas que deveriam ter se curado anos atrás mas nunca o fizeram?

Tem como não amar essa mulher? Cristina, você vai deixar saudades! <3